Encontro dos Líderes da Comunidade Expresso Livre no FISL11

ago 09 2010 Publicado por em Comunidade Opensource

Membros da Comunidade Expresso Livre reunidos no FISL11

A Prognus Software Livre esteve presente no FISL11 – Fórum Internacional de Software Livre – que aconteceu de 21 a 24 de Julho no Centro de Eventos PUCRS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – em Porto Alegre. Tradicionalmente à véspera do FISL e do Latinoware – fóruns de Software Livre com grande visibilidade – acontece a reunião do Comitê Gestor composto por cinco empresas: Celepar (Companhia de Informática do Paraná), Dataprev (Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social), Prodeb (Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia), Prognus Software Livre e Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

William Fernando Merlotto, Diretor Técnico da Prognus Software Livre, participou da reunião do Comitê Gestor, levou o posicionamento da empresa frente às questões debatidas e participou das decisões. Segundo Merlotto, a Prognus Software Livre norteou o debate sobre o estatuto da comunidade e estratégias para unificação. “Com o estatuto definido, podemos estabelecer regras e processos para gerir a comunidade e consequentemente o próprio Expresso Livre”, justificou. Os representantes das empresas debateram, também, o Modelo de Governança da comunidade, proposto pela Prodeb, além de estratégias para unificar as diferentes versões do Expresso Livre que estão sendo usadas paralelamente. Por fim, foi discutido o escopo da próxima versão do Expresso Livre (2.2), ainda sem data de lançamento.

A Caixa Econômica Federal foi aceita como membro do Comitê Gestor, indicada pela Prognus Software Livre. Das empresas que até então compunham o comitê, estiveram presentes na reunião: Celepar, Prodeb, Prognus Software Livre e Serpro. “Ser membro do Comitê Gestor é uma honra e uma oportunidade única para a Prognus Software Livre, pois nos permite, junto com empresas públicas, contribuir efetivamente para o desenvolvimento do Expresso Livre. Somos atualmente a única empresa que oferece serviços exclusivamente para o Expresso Livre e que tem autonomia para participar das discussões do Comitê Gestor”, afirmou Edney Matias, Diretor Executivo.

Já no FISL, os membros da comunidade Expresso Livre se reuniram para discutir melhorias, diretrizes e novas funcionalidades da ferramenta. No estande da Celepar, uma das novidades foi a integração do sistema de telefonia IP ao Expresso. “A troca de experiências e as discussões do grupo de desenvolvedores tem proporcionado inúmeros avanços, que vão do leiaute à implementação de novas características”, afirmou Nilton Bührer, coordenador do projeto.

Sobre o Expresso Livre: Suíte de comunicação desenvolvida de forma pioneira pela Celepar, ganha cada vez mais adeptos em todo o País. O Expresso reúne numa só ferramenta correio eletrônico, catálogo, agenda, gerenciador de fluxo de trabalho e mensageiro instantâneo. Desde 2003, é usada oficialmente pelo Governo do Paraná, que distribuiu mais de 131 mil contas a servidores públicos. O Governo Federal e vários estados brasileiros também usam o Expresso. A Prognus Software Livre planeja e executa projetos de implantação, treinamentos para novos usuários e suporte com garantia de segurança para o Expresso Livre. Por oferecer serviços exclusivamente ao Expresso Livre, tem como missão a excelência em seus projetos.

FISL 11: A décima primeira edição do FISL contou com 173 palestras distribuídas em 17 trilhas, além de workshops, oficinas, festival de cultura livre, encontro de comunidades e de grupos de usuários, e novidades do mundo do software livre e código aberto. Estiveram presentes representantes de 16 países e de quase todos os estados brasileiros. Foram mais de 7500 inscritos, sendo eles 30% estudantes e 70% profissionais da área e empresários, 76 caravanas, a mais distante de Roraima e a maior da Universidade Federal de Santa Maria. Hoje o fórum é considerado o maior da América Latina e um dos maiores do mundo. O objetivo de fóruns como este é a colaboração, “existem pessoas que pensam diferente, de uma forma colaborativa”, afirmou Marcos Mazoni, presidente da SERPRO.

Ainda sem comentários

Deixe uma resposta

*